Desfibrilhação Automática Externa para publico em geral

 

A morte súbita cardíaca é causada por uma arritmia cardíaca chamada fibrilhação ventricular, que impede o coração de bombear o sangue. O único tratamento eficaz para a fibrilhação é a desfibrilhação elétrica que consiste na administração dechoques elétricos ao coração parado, possibilitando que o ritmo cardíaco volte ao normal. Nestes casos, a probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor for o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação.. Sabe-se que:

• A sobrevivência das vítimas sem que precocemente tenham sido realizadas manobras de reanimação que chegam ao hospital é inferior a 1%

• É fundamental para a sobrevivência das vitimas de paragem cardíaca a realização de manobras de Reanimação Cardiorrespiratória antes da chegada dos meios de socorro por quem presenciou a PCR é fundamental

• A desfibrilhação automática externa associada a Reanimação Cardiorrespiratória (nos primeiros 1-2 minutos) obtém cerca >60% de sobrevivência!

Decreto-Lei 188/2009 de 12 de agosto, através do Decreto-Lei 184/2012 veio tornar obrigatória a instalação de equipamentos de DAE em determinados locais de acesso público, nomeadamente nos estabelecimentos comerciais de dimensão relevante.

A instalação de DAE passa assim a ser obrigatória nos seguintes locais:

· Estabelecimentos de comércio a retalho, isoladamente considerados ou inseridos em conjuntos comerciais, que tenham uma área de venda igual ou superior a 2000 m2;
· Conjuntos comerciais que tenham uma área bruta locável igual ou superior a 8000 m2;
· Aeroportos e Portos Comerciais;
· Estações ferroviárias, de metro e de camionagem, com fluxo médio diário superior a 10 000 passageiros;
· Recintos desportivos, de lazer e de recreio, com lotação superior a 5000 pessoas.

As entidades responsáveis pela exploração dos locais de acesso público referidos dispõem do prazo de dois anos para o cumprimento integral do disposto no presente diploma, contado da data da sua entrada em vigor, ou seja, dia 1 de setembro de 2012.

 

Curso de suporte Básico de Vida com Desfibrilhação Automática Externa

Programa

·         Cadeia de sobrevivência

·         Algoritmo do Suporte básico de vida

·         Algoritmo de Atuação com Desfibrilhador Automático Externo

 

Competências adquiridas

·         Aplicação de medidas de suporte básico de vida

·         Utilizar em situação de paragem cardiorrespiratória um desfibrilhador automático externo no âmbito do Plano Nacional de Desfibrilhação Automática Externa, Dec. Lei 188/2009 de 12 de Agosto de 2009

 

Inclui

·         Máscara de bolso

·         Manual em suporte informático

·         Acesso a plataforma de e-learning

·         Certificado em conformidade com o Plano Nacional de Desfibrilhação Automática Externa, Dec. Lei 188/2009 de 12 de Agosto de 2009

 

Preço

·         Inscrições individuais – 55 euros

·         Grupos de 6 formandos – 300 euros

Formação Isenta de IVA